"O que importa a surdez dos ouvidos quando a mente escuta? A única surdez verdadeira, a surdez incurável, é a surdez da mente". - Victor Hugo

quinta-feira, 25 de dezembro de 2008

Me apaixonei e fui cantada pelo psicanalista.

Oi Caio,
Neste momento tento entender o que está acontecendo comigo, vou tentar resumir um pouco para se você puder me ajudar.
Procurei no seu site, mas não encontrei nada parecido com o que estou vivendo.
Estou fazendo terapia há um ano. O motivo principal deu ter parado num consultório de psicanálise foi porque eu estava fazendo um curso de direito e comecei a questionar se eu teria vocação para exercer a profissão…
Estava (e estou cansada de tudo), teve momentos que eu não queria nem sair da cama, parei com o curso e minha vida se resume em trabalhar e ir pra casa descansar… Ainda estou com dúvida sobre o curso.
Procurei ajuda e conheci o psicanalista em questão. Nas primeiras sessões eu chegava desesperada, só chorava, e ele sempre muito profissional me atendia com amor. Houve uma época que eu não podia pagar pela consulta, e ele ofereceu a me cobrar, acho que fui criando um laço com ele. Ele é bem mais velho, acho que tem mais de 40, mas não aparenta a idade que tem, é muito bonito, fala muito bem (o que na profissão que ele exerce é de se esperar). Eu tenho 26.
Estou criando coragem pra te dizer isto porque antes da sua resposta não vou tomar nenhuma atitude…
Ele sempre me pergunta se eu estou namorando, eu digo que não, e não tenho ninguém mesmo; na verdade tem mais de 4 anos que não me relaciono afetivamente com nenhum homem, nem beijo rola; quando penso no cheiro de um homem me dá nojo; quando beijo, no inicio gosto, mas depois tenho nojo; não sou lésbica, sinto atração por homens, mas vezes acho que não preciso de um homem para me sentir feliz, completa; nunca tive um namoro sério, ou seja que durasse mais de 06 meses (isso eu não disse ao terapeuta ainda).
Certa vez ele me perguntou se eu era virgem e eu disse que sim, ele riu e perguntou se isso me incomodava; eu disse que não tenho problemas com minha virgindade, só que quando digo ninguém acredita.
Sabe moro no interior e por mais que os tempos tenham mudado, aqui virgindade ainda é tratada como um prêmio.
Fui molestada por um amigo do meu pai quando criança e por um primo também, (acho tecnicamente que sou virgem); e somente o médico sabe e me disse que meu trauma vem daí; sei lá… eu não entendo de psicanálise.
Às vezes não entendo o que ele fala. Ele sempre me elogia, diz que eu sou linda… Ele fez isso desde a primeira consulta, no fundo sei que é para melhorar minha auto-estima, pois, fui diagnosticada com depressão…
Ele me disse alguma coisa sobre sadismo e masoquismos, que eu estava me vingando dos meus pais por ter me sentido desprotegida, e com isso eu me punia também.
Sei que ele é ético, disso eu não tenho dúvida, mas estou cada vez mais me sentindo atraída por ele, já sonhei que estava fazendo sexo com ele, e sonhei também que tinha conhecido a esposa dele e que no sonho eu a admirei e senti um amor profundo por ela. Ele sempre fala da esposa dele, a elogia muito, a conheço por fotografia, mas não quero conhecê-la pessoalmente. Quando estou longe dele penso nele como HOMEM, mas quando vou às consultas o vejo como meu pai, sinto um carinho profundo por ele, sinto vontade de abraçá-lo.
Isso aconteceu uma vez quando eu contei que tinha sido molestada, chorei muito, por vergonha, nojo, medo, enfim… Ele veio e me abraçou e eu senti conforto nos braços dele. Sei que não o amo, mas não entendo o porquê desses sentimentos e tenho medo que isso passe a se tornar uma obsessão na minha vida. Às vezes vou ao consultório só para vê-lo, eu acho que ele percebe, mas eu não demonstro.
Teve uma consulta que ele disse umas palavras que me deixaram desconcertada: Ele disse desde a primeira vez que me viu que sentiu atração por mim… Eu fiquei pálida, não soube o que responder e, então, eu pensei: será que não era imaginação da minha? Será que aquilo era verdade? Então eu disse que não estava entendendo, ele riu me disse que tinha dito aquilo pra me mostrar o pavor que eu tenho quando um homem tenta se aproximar de mim.
Acho ele lindo, experiente, inteligente, tudo que me atrairia em um homem se ele fosse livre, mas ele não é; ele diz que é apaixonado pela esposa dele; só que eu só fico pensando nele…
E é por isso que busco sua ajuda, pelo que estou lendo no seu site, sei que você é uma pessoa ética e acima de tudo temente a Deus.
Por favor, me ajude!

Devo contar a ele o que sinto para que ele me oriente como lidar com esse sentimento ou não conto e deixo de fazer terapia. Não tenho coragem de dizer isso a ele. E só vou tomar uma atitude quando obtiver uma orientação sua. Sei que você é muito experiente e se tivesse acontecendo com você, você saberia lidar com isso; mas tenho medo de procurar outro terapeuta e ter que contar toda minha história novamente.
Por favor, me ajude!… - e ore por mim!
Resposta:
Minha querida amida no Senhor: Graça e Paz!
Primeiro comecemos pela razão de sua carta: seu sentimento de transferência de afetos para o psicanalista; e a aparente assimilação que ele fez do que para ele você transferiu como carência.
O fato é este:
Você é jovem e bela. Ele é homem. Fala da mulher com possível sinceridade, ou, também, quem sabe, para manter a “isenção” e ou a “proteção”.
Mas quando diz sempre que você é bela, e quando insiste em elevar sua auto-estima pela via do galanteio, ele quebra todos os princípios da psicanálise e envereda pela dúbia vereda da psico-cantada.
Parêntese: Nem Freud e nem Jung estiveram livres disso. Tiveram seus vários problemas nessa área.
Ora, quando ele disse que se sentia “atraído por você”, era isto mesmo o que ele estava dizendo.
Aliás, há muito que ele sabe que você fez a “transferência” e que você está nas mãos dele… — e isso o “excitou”.
Ao ver você corada de vergonha e desejo… — ele só viu o “corado do rosto”, e temeu! Por isso, saiu com essa de que era um “teste para você ver como se sente em relação aos homens”. Porém, ele sabe que se você tivesse dito: “Ah! Eu me sinto do mesmo jeito. O que a gente faz com isso?” — você estaria agora me contando não o que não aconteceu, mas sim como havia acontecido e como você estaria apaixonada por ele, etc. e tal.
Só não “rolou” porque você corou de vergonha e susto. Do contrário, o psicanalista estaria fazendo terapia sexual com você, na qual ele seria o médico, o remédio, a consulta e o fisioterapeuta sexual. E você… Ah! Você sempre será o experimento!
Desculpe, mas esta é a verdade; e se ele é bom só Deus sabe; no que me concerne, ele é apenas esperto e dissimulado.
Eu fico sempre muito irritado com médicos, psicanalistas, pastores, conselheiros, psicólogos, professores, padres, etc. — que usam a fragilidade das pessoas, a confiança, e a proteção do consultório e da profissão, a fim de darem essas cantadas covardes.
É covardia, manipulação e abuso!
Transferência de afetos do paciente para o terapeuta é algo comum de acontecer. É quase impossível, em certas circunstancias como a sua, que tal não aconteça.
Mas o psicanalista ou psicólogo sério, vê, discerne, encaminha na direção certa, sem alarde, e, fala no assunto apenas se o paciente avançar com proposições…
Ora, em tal caso, o profissional explica o fenômeno; e diz que a pessoa não está apaixonada por ele, mas sim pelo significado dele na vida da pessoa, dada a fragilidade e a carência [estou simplificando pra você entender]. E pronto. Pára aí. E se a pessoa insistir, o próprio profissional a transfere apara outro; pois, se a “transferência afetiva” permanece e se cronifica, nenhum tratamento dá certo.
No seu caso, infelizmente, o terapeuta se encheu de desejo pela virgem molestada e que tem nojo de homem, mas que se apaixonou por ele!
É uma lisonja para ele!
Assim, lamento informar, mas seu terapeuta deseja você, já disse isso a você, sabe de você por ele, e, na hora própria, ele espera ceifar…
Se você quiser transar com ele, então fique sendo paciente dele. Mas, também, prepare-se para enlouquecer e ficar mil vezes pior de tudo!
Portanto, mude de terapeuta. Sim! Mude e conte tudo de novo para outra pessoa. Por que você não procura uma mulher? Não é segurança total [já atendi mulheres carentes que se apaixonaram e tiveram casos com a psicóloga, e que por pouco não piraram de vez...], mas elimina bastante esse risco que é fruto da doença-carência de ambos — do paciente e do terapeuta.
Minha tristeza é que o mundo está tão doente que ninguém sabe mais nem mesmo aonde o jaleco de médico, professor… [ou seja lá o que for...], corresponde à atitude profissional que se espera do sujeito fantasiado de doutor.
Quanto ao seu nojo de homem, não se grile. O psicanalista serviu para uma coisa: mostrar definitivamente que seu nojo de homem é seletivo, e que, de fato, você apenas não encontrou alguém que a emocionasse… Até agora.
Sim! O fato de você ter sido molestada deixa marcas; mas, sinceramente, não creio que em você elas sejam tão profundas assim…
Os aspectos psicológicos de seu sentir são importantes, mas, creia: você é bem menos problemática do que imagina; e, tendo boa ajuda, ajuda isenta, simples e direta, você se ajeita interiormente rapidinho.
Não busque num homem o que seu coração só encontra em Deus!
O fato de o Psicanalista virar deus para o paciente também explica essa sua vontade de confiar…
Sua grande carência, todavia, é carência de Deus!
Leia o site e busque encher sua vida com fé e discernimento. Vá lendo… Sempre. E mais: relaxe!
Se você confiar e relaxar, creia: tudo irá para o seu próprio lugar!
É isto que por hora tenho a lhe dizer!
Receba meu carinho e orações!
Nele, que nunca usou ninguém, mas apenas serviu os que poderia usar,
Caio Fabio
Fonte: www.caiofabio.com

domingo, 21 de dezembro de 2008

Jesus não nasceu em 25 de dezembro

Nesta época do ano, o comércio fatura mais do que em dias normais, as ruas ficam enfeitadas; há troca de presentes entre pessoas especiais e colegas de trabalho; e as escolas e as igrejas tentam ensinar às crianças que o verdadeiro sentido do Natal é o nascimento de Cristo. Verdadeiro? Até mesmo entre os cristãos há divergência quanto à celebração da data.
O nascimento de Jesus só passou a ser atrelado a essa data quando, por uma questão política, o imperador romano Constantino procurou resgatar a unidade religiosa do povo que governava. Constantino aproveitou a difusão do cristianismo para controlar o império. Foi ele que estabeleceu os costumes e rituais da Igreja Católica Romana, criada no Concílio de Nicéia em 325 d.C., passando o dia de celebração do sábado para o domingo e "criando" o Natal cristão. Além disso, a Igreja Romana também assimilou muitos costumes de outros povos que o império dominava, como conta Henry Bettenson em seu livro Documentos da Igreja Cristã.
O que ocorre é que em outras culturas, anteriores a Cristo, 25 de dezembro era marcado como o dia do nascimento de deuses, geralmente ligados ao Sol. Na definição da Enciclopédia Barsa, o Natal é uma data "fixada no ano de 440, a fim de cristianizar grandes festas pagãs realizadas neste dia".
Estas festas estão relacionadas às estações do ano. O culto pagão Natalis Invistis Solis (nascimento do deus sol invencível), ao deus Mithra, da Pérsia, do qual Constantino era sumo sacerdote, é celebrado nesta data, já que do dia 24 para o 25 acontece a passagem do Solstício de Inverno para o Equinócio de Primavera nos países do Hemisfério Norte. Durante o período do Solstício de Inverno, os dias são curtos e frios porque, segundo o Observatório Astronômico da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), desta perspectiva, o Sol se move durante seis meses para o sul e fica mais fraco. Ao nascer do dia 25, ele se move um grau, mas, desta vez, para o norte, trazendo dias mais longos e quentes e, claro, a primavera com suas flores, a colheita, o acasalamento dos animais e todo o culto em torno da fertilidade.
Os solstícios são as posições da Terra em relação ao Sol. Entre eles há os Equinócios de Primavera e Outono, que ocorrem quando os dois hemisférios ficam dispostos simetricamente em relação ao Sol, que sempre foi motivo de culto e adoração em inúmeros povos.
No Egito, 3000 anos a.C., o Sol aparece na figura do deus Hórus, que nasceu da virgem Isis, na mesma data de Mithra. Seu arqui-inimigo era Set, que representava o mal, as trevas ou a noite. Todos os dias eles travavam batalhas. Ao entardecer, Set ganhava e mandava Hórus para as trevas, ao amanhecer, acontecia o contrário e Hórus reaparecia vitorioso no céu. Durante a primavera e o verão, quando os dias são mais longos, Hórus prevalecia. De igual forma, a mesma estrutura mitologia, é encontrada uma das versões da história de Krisha, da Índia, cujo nascimento teria sido em 25 de dezembro a 900 anos a.C., também de uma virgem, Devaki.
Jesus não poderia ter nascido nesta data, pois em Israel é inverno e dificilmente pessoas peregrinam nesta época. Os pais de Jesus estavam a caminho de Jerusalém, o que só ocorria em duas ocasiões -- no aniversário da cidade e na Festa dos Tabernáculos, ou Sucot, a festa das colheitas do povo judaico. Os indícios apontam que o nascimento teria acontecido na segunda ocasião. Russel Shedd constatou em seus estudos para a tese de doutorado que o nascimento se deu em outubro, durante a festividade, considerando os turnos de sacerdócio de Zacarias, pai de João Batista, primo de Jesus. "Ele nasceu na época da Festa dos Tabernáculos, em outubro. Seu nascimento pode ser calculado assim: Zacarias exercia seu turno em julho (Lc. 1:5,8) por ser do turno de Abias, o oitavo turno do ano eclesiástico que começava em março (I Cr. 24:10). Foi o mês da concepção de João Batista, (Lc. 1:23-24), que nasceu, pois em abril do ano seguinte. Jesus nasceu seis meses mais tarde, (Lc. 1:26), portanto em plena Festa dos Tabernáculos."
Fonte: Opinião e noticia

sábado, 6 de dezembro de 2008

Levantada hipótese de que Obama não pode ser presidente dos EUA

Apesar de improvável, é possível que o presidente eleito dos EUA, Barack Obama, não seja um cidadão norte-americano nato, o que o tornaria inelegível para o cargo. Alguns grupos estão exigindo que Obama mostre sua certidão de nascimento original. Levantada hipótese de que Obama não pode ser presidente dos EUA.Levantada hipótese de que Obama não pode ser presidente dos EUA.
A especulação sobre a nacionalidade de Barack Obama se baseia na hipótese de sua certidão de nascimento ser falsa. A lei do Havaí -- onde a princípio se acredita que Obama nasceu -- prevê casos nos quais pessoas nascidas fora do estado podem mesmo assim ter uma certidão de nascimento emitida pelo departamento de saúde local, mas não sem expressar o fato de se tratar de alguém nascido em território estrangeiro.
O caso é que a certidão havaiana é bastante sujeita a adulterações. Tanto que órgãos públicos do próprio estado do Havaí não aceitam cópias autenticadas das certidões de nascimentos emitidas lá como provas conclusivas. Até aqui, Obama só mostrou cópias autenticadas. Sua certidão de nascimento original ainda não veio a público.
É comum pessoas que chegam aos Estados Unidos com crianças pequenas tentarem registrá-las como nascidas no país, para que tenham todos os benefícios da cidadania. Especula-se que Obama pode ter nascido no Quênia.
Fonte: Washington Times e Opinião e Noticia

sábado, 8 de novembro de 2008

Imprensa mundial não esconde entusiasmo com Obama


O jornal britânico The Guardian declarou em seu site: "Obama é a esperança dos EUA, e a nossa também". A página do Liberatión, da França, fala em "revolução Obama". No espanhol El Mundo, o entendimento é que "Obama mudou a cor da História".


O El Mundo diz ainda que "O sonho de Martin Luther King se cumpriu, e o sonho americano também". A revista britânica Economist chama o triunfo de Obama de "Vitória histórica". O francês Le Monde exclama: "A mudança chegou!".


Nos EUA, o site do New York Times destaca que "a barreira racial caiu em uma eleição na qual os eleitores compareceram em massa". O Washington Post pisa no freio, dizendo que, "depois de uma vitória de importância histórica, Barack Obama vai herdar problemas de proporções históricas".
Em sua edição impressa, o jornal Chicago Sun-Times foi lacônico em sua manchete: "Sr. Presidente".

Obama é o primeiro presidente negro do país

O senador democrata Barack Obama venceu as eleições presidenciais nesta terça-feira, se tornando o primeiro negro a ser eleito presidente dos Estados Unidos.
A partir de 20 de janeiro de 2009, quando será empossado, Obama e seu vice, o senador Joe Biden, enfrentarão enormes desafios, como a crise econômica, a guerra do Iraque e a reforma do sistema público de saúde.
A vitória de Barack Hussein Obama, de 47 anos, é um marco na história dos EUA, 45 anos após o auge do movimento dos direitos civis liderado pelo pastor Martin Luther King.
"O caminho pela frente será longo. Nossa escalada será árdua. Podemos não chegar lá em um ano ou em um mandato, mas, América, nunca estive tão esperançoso do que nesta noite de que chegaremos lá", disse Obama.
Em nossa opinião McCain teria sido melhor para o Brasil. Isso por uma razão muito simples: ele é firmemente a favor do livre comércio, o que seria muito bom para nós. Por outro lado, devemos esperar que Obama levante a auto-estima dos americanos e que melhore a imagem do país, tão piorada em todo mundo durante os oito anos de governo Bush. Isso será bom para todos.

Fonte: Opinião e noticias

sábado, 18 de outubro de 2008

Bíblia ainda não foi traduzida para 4.500 idiomas

CIDADE DO VATICANO - Embora continue sendo o livro mais difundido no mundo, a Bíblia ainda não foi traduzida para 4.500 línguas faladas atualmente, informou a Federação Bíblica Católica.
O presidente da federação, mons. Vincenzo Paglia, comentou o fato ao apresentar hoje à imprensa a “Pesquisa internacional sobre a leitura da Bíblia, em perspectiva ecumênica”, um estudo sobre a leitura e a compreensão do "livro dos livros".
Segundo Pablia, atualmente, a Bíblia está traduzida parcialmente em 2.454 línguas, mas completamente apenas em 438.Outro dado apontado pelo prelado se refere ao baixo número de exemplares entregues aos católicos.
Em 2006, as Sociedades Bíblicas distribuíram 26 milhões de exemplares, o que significa que apenas "1 ou 2% dos dois bilhões de cristãos" os receberam.
Fonte: DCI - SP

sábado, 11 de outubro de 2008

Até a Igreja está em crise financeira

O Vaticano anunciou um déficit de US$ 14 milhões nas contas da Santa Sé. Nos últimos três anos, essas contas se beneficiaram do boom imobiliário, do aumento dos aluguéis de seus imóveis e do bom desempenho das ações que possui. A Igreja diz que a queda é decorrente da diferença entre o euro e o dólar e dos problemas nas ações em que havia investido na bolsa. A Igreja anglicana publicou esta semana uma oração. "Deus, vivemos em dias difíceis em todo o mundo. Deus, seja nossa torre de fortaleza."

Fonte: O Estado de S. Paulo - SP

domingo, 14 de setembro de 2008

Aquecimento global é culpa do Sol, não dos homens, diz cientista russo

O aquecimento global e o crescente degelo devem-se em maior medida à atividade do Sol, e não ao “efeito estufa” causado pelos homens, afirmou nesta segunda-feira o diretor do Observatório Astronômico de São Petersburgo, Khabibullo Abdusamatov.

O aquecimento global é resultado da elevada e prolongada atividade solar que aconteceu na maior parte do século passado, e não se deve ao efeito estufa (causado pelo homem)”, disse o cientista à agência russa “Novosti”.

Contrariando a opinião da maioria das organizações de defesa do meio-ambiente, o cientista russo afirmou que a atividade industrial não influencia de forma determinante o clima do planeta, que ao longo dos séculos passou por períodos de aquecimento e esfriamento.

“A população não está em condições de influenciar no aquecimento global da Terra, que, após um período de aquecimento, sempre experimenta outro de esfriamento”, disse Abdusamatov.
Segundo o cientista, o alto nível de energia solar que chegou à Terra durante o século passado começou a cair nos anos 90 e, em conseqüência, o gradual aquecimento das águas dos oceanos foi detido.

“Entre os anos 2012 e 2015, a temperatura global da Terra começará uma lenta redução, que alcançará os níveis mínimos entre 2055 e 2060”, afirmou.

Esse esfriamento, diz ele, será semelhante ao observado entre 1645 e 1715 e que afetou Europa, América do Norte e Groenlândia, e que coincidiu com uma diminuição da atividade solar, período no qual rios europeus como o Tâmisa e o Sena congelaram.
Fonte: Folha de São Paulo

domingo, 31 de agosto de 2008

Médicos egípcios proíbem transplante de órgãos entre muçulmanos e cristãos

O sindicato de Médicos do Egito, dominado pelo grupo islâmico Irmãos Muçulmanos, decidiu proibir seus afiliados de realizarem transplantes de órgãos entre cristãos e muçulmanos, informa reportagem do jornal espanhol "El País". De acordo com os médicos, o objetivo da decisão é combater o tráfico de órgãos. A Igreja Católica e os líderes muçulmanos reagiram contra a medida, temendo a elevação das tensões religiosas no país.
O Parlamento egípcio está discutindo uma nova lei sobre a doação, o transplante e o tráfico de órgãos. O sindicato já determinou, entretanto, que qualquer médico que viole sua decisão será interrogado e punido pelo órgão."Tudo isso é para proteger os muçulmanos pobres dos cristãos ricos que compram seus órgãos e (também) o contrário", explicou ao "El País" o diretor do Sindicato dos Médicos, Hamdi El Sayed.
A igreja católica ortodoxa do Egito reagiu, afirmando que a decisão do sindicato pode levar ao fim das transfusões de sangue entre seguidores das duas religiões ou até ao fim das consultas de pacientes com médicos fiéis a um credo diferente do seu."Todos temos o mesmo sangue egípcio. E se o motivo da medida é acabar com o tráfico de órgãos, rejeitamos, porque pode ocorrer também entre fiéis da mesma religião", disse, segundo o "El País", o bispo Marcos, porta-voz da igreja copta. "Temos medo de que no futuro haja hospitais para cristãos e outros para muçulmanos".
Os cristãos representam apenas 10% da população egípcia, formada por 76 milhões de pessoas. Os muçulmanos são cerca de 90%. O país foi cenário de uma onda de violência promovida por grupos islâmicos, como o Gamaa al-Islamiya, que resultou na morte de 1.300 pessoas.
Fonte: O Globo Online

Padre acusado de violência sexual envia carta aberta ao Papa

COSENZA, Itália - O frade capuchinho da cidade de Cosenza, Padre Fedele Bisceglia, acusado junto com seu secretário, Antonio Gaudio, de ter violentado uma freira, escreveu uma carta aberta ao Papa Bento XVI na qual afirma ser inocente. "Parem este nefando tsunami", afirma o padre na carta."Eu estou pronto para subir até na fogueira, mas gritarei com força sempre, até a morte, minha inocência e pregarei até o espasmo a conversão de religiosos e religiosas que participaram neste terrível complô que sacudiu a opinião pública mundial"."Curvado sob o peso dos meus anos maduros", prossegue Bisceglie, "prostrado ao beijo do santo pé, de frente a Cristo crucifixo e sacramentado, confesso mais uma vez minha inocência e estraneidade à infamante acusação da irmã Tania Alesci, das Freiras Franciscanas dos Pobres, por um pecado jamais pensado"."Faço apel o à Sua Santidade", escreve o padre Fedele, "às autoridades eclesiásticas, deixando de lado as civis, que farão seu próprio curso, embora longo, suplicando o advento de Visitadores Apostólicos, de comprovada sapiência e espiritualidade no âmbito da Congregação das Freiras Franciscanas dos Pobres e nas ações de Superiores Maiores, Provinciais e Gerais da Ordem dos Capuchinhos".As informações são da Ansa.
Fonte: O Globo

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sabedoria: um reflexo da ternura


Contaram-me uma "estória", que apesar de não saber o autor, faço questão de trazer sempre comigo. É de grande valia que a relato abaixo para nossa reflexão:

“Havia, numa cidade, um homem famoso pela sua sabedoria. A notícia espalhou-se por todos os lugares, e vinha pessoas dos mais diversos recantos para conhecê-lo.
Um moço, impressionado com tudo o que lhe contavam sobre o sábio, quis visitá-lo, mas estava disposto a desafiá-lo, também. Viajou dias e dias, para, finalmente, chegar ao lugar determinado.

Naquela tarde memorável, o jovem estava nervoso e, ao mesmo tempo, curioso com a possibilidade de desmascarar o sábio. Pegou um pássaro, pôs as mãos para trás e, quando se viu frente a frente com ele, perguntou-lhe:

- Meu caro senhor, tenho um pássaro nas mãos. Em sua opinião, ele e está morto ou vivo?
O filósofo pensou, pensou e respondeu calmamente:
- Se eu disser que o pássaro está vivo, você é capaz de matá-lo. Se eu disser que ele está morto, você pode soltá-lo vivo, portanto, meu filho, posso afirmar com certeza, que a vida desse pássaro está em suas mãos”.

Que maravilha de resposta! Aquele rapaz deve ter saído dali impressionado. A resposta foi produto de uma reflexão repleta de ternura. Devemos com toda certeza tomar atitudes, mas que sejam elas também para promover a Paz! Uma palavra certa, dita na hora errada pode relutar a vida de um ser ao abismo. Precisamos a cada dia está com o coração compassivo, livre do rancor, o nosso entusiasmo, pode ser o entusiasmo do outro, e assim formamos uma corrente pertinente para a prática de um dos mais puros sentimentos, a ternura.

Quem age com ternura, adquire sabedoria o suficiente para fazer bem ao próximo, nesse está à causa da vida, o ser humano é um ser social, e precisa de pessoas ao seu lado para ser feliz e definitivamente ninguém é feliz sozinho, o nosso ego é o reflexo daquilo que as pessoas são para se mudar o mundo, ou melhor, para viver bem nesse mundo é necessário uma mudança interior, mudando nós, mudará as pessoas ao nosso redor, e assim se criará uma corrente positiva, sendo que o resultado desse esforço, será a cultivação de um mundo mais próspero, mais humano, mais racionalmente do bem, isso se chama ternura, esse é o caminho de transformação, o qual as pessoas devem se submeter para se viver num mundo mais igualitário.

Trecho retirado do livro: Ternura: um objeto de transformação. Autor: Emerson Maciel

domingo, 11 de maio de 2008

Agora é minha vez de responder

Após a publicação de meu artigo intitulado de “O bispo Edir Macedo me respondeu”, no qual continha uma carta de minha autoria dirigida ao bispo, a resposta dele (sem argumentos) e a minha conclusão. Passei a receber por email dezenas de “palavras” dos fieis seguidores do bispo. Dentre os muitos, segue um do senhor Sebastião Martins e em seguida minha resposta.

O Email de Sebastião Martins:

“Sr. Émerson Maciel: acabo de ler um desvairado escrito seu, na Internet, gratuitamente, contra a Igreja Universal do Reino de Deus. Antes, quero me apresentar dando um mini-currículo, diferente de sua pessoa, que apenas sei o seu e-mail... E, antes, ainda, completar com alguns dados. Tenho 84 anos, sou casado há 59 anos. Sou ex-combatente da II Guerra mundial, pela paz Armada, ganha pela URSS e que escondem... Só tenho o 4º ano primário, de Patronato.

Bem, o que me leva a contestar essa sua infeliz difamação ao Homem de Deus, bispo Edir Macedo, não é condenável, pior é uma prova de que o senhor não é inteligente, por quê? Porque a IURD está em muito mais do que 150 Nações no mundo e o senhor não atina, estar se expondo... Um conselho: já que não tem alcance para discernir as Sagradas Escrituras deveria ler alguns livros de auto-ajuda, para se situar na área humana. Não Espiritual. O senhor não conhece um Beethoven, um Bach, um Mozart. Não vai dizer que gosta de música erudita.

Sei que nenhum pastor da IURD aprova esta minha atitude, já que Jesus não deixou nada escrito. O senhor sabe, eu vim da Guerra me dizendo ‘ateu’, porque não aceitava o Deus que o senhor conhece. Mas o DEUS vivo é o Tudo, e Jesus sabia que eu era justo, não culpava, nem pela guerra, nem por qualquer doença ,o Pai da Luzes. Essa sua atitude é que me fez distinguir, há muito, que a Educação é superior à cultura: a capital da Turquia foi Bizâncio, depois Constantinopla, depois Stambul, hoje é Ancara. Viu? Tudo que o senhor sabe é mortal, mutável. Se o senhor pegar o hábito de imaginar, o que tenho feito em toda a minha maturidade, vai se corrigir.Nessa avalanche de ‘denuncismo’ que graça o país, no momento, tem infelicitado a vida de muitos honrados políticos, por quê? porque é um hábito, entre nós, de apregoar-se o que sai da mídia, das revistas: isso são órgãos do mal. Nos anos 50 eu li que nos Estados Unidos, até àquelas datas, tinha havido mais de 270 erros de execução de pessoas , injustamente. A própria Internet, parcial, já li que a OEA está lutando para retirar a língua inglesa da Web.

O deputado Afanásio JASSAT, também atirou pedras na IURD, mas eu o conheço por ser combativo, embora de nome russo, ser pela direita, eu mandei-lhe um e-mail, porém mais leve do que o seu, já que Jesus diz que ‘se bate numa face darmos a outra’, sim, não revidar, orar. Neste momento, quase meia noite e o seu xará, bispo Émerson Carlos, está com uma plêiade de pastores no monte mais alto daqui de Porto Alegre, para fazer a Oração da Meia noite, e eu estou pronto para ouvir essa prece [para o senhor também]: em todas as noites, e eu estou sempre aguardando essa hora sagrada. Não posso dizer o que gostaria por não ter liberdade para defender a IURD. Li a resposta do senhor bispo Macedo, ele não poderia descer, DEUS dita-lhe a Palavra. Quanto ao livro, li biografias, mas esse, O Bispo, é a 1ª vez que vejo um livro biográfico falar do biografado, sempre enaltecem de mais, os feitos. Tanto que o objeto em questão some-se. Veja o caso Pelé. Nunca ambicionei ter, senão Ser, e por isso desde que estou na Igreja à soma do que minha esposa e eu ganhamos dá bem para devolver a DEUS os 10 % e ofertas: o nosso dinheiro rende. Estou vendo que o senhor é moço, não está trilhando o caminho certo para quando passar da minha atual idade, transmitir à Sociedade um agradecimento, não um arrependimento. MAS a IURD NÃO TEM PORTAS. ELA TEM RECEBIDO PRECIPITADOS JULGADORES, ARREPENDIDOS, SIM. Sebastião Martins sebirm@via-rs.net
Não dou o endereço, pelo óbvio.
PS- Não deixa de responder ao e-mail, como é hábito dos que não aceitam censura. A venenosa mídia não publica o que escrevemos. Nem a Folha Universal que é o órgão de maior tiragem, não o faz, porque cairia...”

Minha resposta

“Caro Sebastião,

Você pediu para que eu não deixasse de responder ao seu email, mas acabou esquecendo-se do mais importante: só se exige resposta, quando se tem uma pergunta. E isso você não fez, pelo contrário, tentou colocar em mim todos os seus defeitos. E isso é condenável pela palavra de Deus. É isso que sua igreja ensina?

Mas vou apenas me defender de suas acusações.

Em nenhum momento em minha carta, encaminhada ao bispo (e não respondida coerentemente), agi com acusações, apenas fiz perguntas as quais o mesmo não respondeu, antes preferiu se esquivar.

Você diz que a IURD, está em mais de 150 países, ou seja, a imagem do bispo é venerada em mais de 150 países. Mas de nada adianta o homem ganhar o mundo e perder a alma...

Amigo a IGREJA é de Jesus, mas a “igreja” tem muitos donos. Sou cristão convicto, e não abro mão de fazer das de Lutero as minhas palavras, “vivo como se cristo estivesse morrido ontem, ressuscitado hoje e voltasse amanhã”.

Quanto aos livros de auto-ajuda que você me recomenda a ler, eu repito, não coloque, nos outros os seus defeitos. Leia esses livros, podem lhe ajudar a discernir melhor os seus conceitos errôneos...

Se você imaginasse tanto, o quanto acha que imagina, talvez não saísse por ai defendendo falsos deuses... O meu prisma é Jesus e o seu é Edir Macedo. Eu defendi a obra de Deus, e você com sua carta defendeu a obra da Universal. Paz e bem”

sexta-feira, 14 de março de 2008

O desafio de não se calar



O artigo que segue abaixo nos foi enviado pela leitora assídua desse blog, *Silvia Pina. Levando em conta os argumentos tão espontâneos resolvemos transcrevê-lo na integra para a apreciação dos nossos leitores.

O desafio de não calar



Em um país que vive em meio a situações conflitantes, desfalque aqui, suborno acolá, senador corrupto absolvido e outras coisa que nos fazem pasmar, paramos para pensar e chegamos a conclusão que a injustiça e a impunidade imperam. Mas por quê? Por que será que a injustiça e a impunidade têm que dominar? Por que temos que viver no meio de tudo isso quietos e acomodados? A resposta é simples: porque aquelas pessoas que vivem de forma correta e que gostariam de ver a justiça ser aplicada retamente silenciam.
Uma frase marcante de Martin Luther King (foto) diz o seguinte: “O que mais preocupa não é nem o grito dos violentos, dos corruptos, dos desonestos, dos sem caráter, dos sem ética. O que mais preocupa é o silêncio dos bons”.
O silêncio dos bons! Este custa muito caro. Custa as verbas disponibilizadas para educação que não são usadas corretamente. Custa a falta de assistência social a tantas crianças que estão pelas ruas. Custa a falta de assistência médica, o fechamento de hospitais, a miséria. Custa tanto que não teríamos como enumerar as conseqüências causadas por ele. Diante disso aparecem outras questões: por que silenciar? Por que agir como mero expectador deixando que sobressaia “o grito dos violentos, dos sem caráter, dos sem éticas”? Enquanto “os bons” estão a silenciar eles estão a deixar ecoar seus gritos. E esses gritos ecoados são nada mais nada menos emitidos para intimidar os que silenciam e fazer que o silêncio continue. Na verdade são gritos temerosos, por saber que se o silêncio for rompido eles já não mais terão forças e estarão fadados ao fim, não terão como vencer.
Por fim eis um desafio: romper o silêncio dos bons. Fazer ouvir a voz daqueles que, inconformados com a situação vigente, querem ver mudanças, uma sociedade melhor e mais justa.

* Silvia Pina, é professora da rede Pública de ensino, e Psicanalista.

domingo, 10 de fevereiro de 2008

Nossa casa comum está doente


“Não queremos o meio ambiente. Queremos o ambiente inteiro” – Leonardo Boff

O ser humano, por implicação de suas atividades econômicas, principalmente após o advento da revolução industrial, vem contribuindo para o aquecimento da terra.


Já se pode sentir as conseqüências climáticas decorrentes do aquecimento global. O nível do mar tem aumentado de forma a prejudicar a vida, das famílias ribeirinhas.


De quem é a culpa? Colocamos aqui em nosso site, uma pesquisa, intitulada de “Quem são os maiores culpados face ao aquecimento global?”. E como resposta obtivemos dos internautas os seguintes números: 10% dos internautas, acham que a culpa é dos empresários, outros 24% afirmaram que são os governantes, outrem 31% opinaram que os maiores culpados são os países industrializados, e por fim, 34% colocaram a culpa na sociedade.


Sim, a sociedade como um todo, de fato é a maior culpada, pois nela estão inseridos os empresários, os governantes (alias, nós os elegemos), os países industrializados e a própria sociedade (povo), estão imbuídos na sociedade mundial.


Esse tema tornou-se unanimidade mundial, culminando num comprometimento, dos países mais desenvolvidos em reduzir suas taxas de emissão dos gases que contribuem para o “efeito estufa”. Segundo os cientistas, nos últimos cem anos a temperatura média da terra aumentou aproximadamente 0,6°c.


A Revista cientifica ENVIRONMENTAL RESEARCH LETTERS, publicou em uma de suas edições que, a floresta Amazônica é uma reserva de cerca de 80 bilhões de toneladas de carbono – o que equivale a quase um terço do estoque mundial.


De acordo com um estudo divulgado pelo Grupo Ambiental WWF, na conferencia da ONU para mudanças climáticas, em Bali, até 55% da Amazônia pode ser destruída até 2030, se as tendências forem mantidas.


Qual a solução? Tenho apenas sugestões, primeiro que a sociedade está carente de uma Gestão Ambiental, uma boa oportunidade dos governantes criarem parâmetros para imbuírem à população no governo. A sociedade civil pode se manifestar nesse sentido, plantando árvores, já que a meta mundial para se tentar frear os avanços do aquecimento global, é o plantio de 1 bilhão de arvores. Para o Brasil poderiam ser 100 milhões. Para cada município seriam no mínimo Mil árvores plantadas em 2008.


Nossas escolas também estão carentes de projetos sócio-ambientais, para uma prematura conscientização de nossas crianças. Por que não inserir nas escolas uma nova disciplina, com o nome de Educação Ambiental?


Por fim, na ponta da “navalha”, os nossos estadistas estão sufocados, que se por um lado precisam urgentemente formular um plano ambiental, para no mínimo acalmar a sociedade que os legitimou, por outro, existe uma real preocupação de solucionar, ainda que com medidas paliativas, o risco de uma crise ambiental avassaladora. O “homem” tem procurado a sua própria destruição. Devemos preservar a nossa casa comum, a terra. Se ela for destruída, conseqüentemente pereceremos com ela. Ou mudamos ou morreremos.