"O que importa a surdez dos ouvidos quando a mente escuta? A única surdez verdadeira, a surdez incurável, é a surdez da mente". - Victor Hugo

sexta-feira, 27 de junho de 2008

Sabedoria: um reflexo da ternura


Contaram-me uma "estória", que apesar de não saber o autor, faço questão de trazer sempre comigo. É de grande valia que a relato abaixo para nossa reflexão:

“Havia, numa cidade, um homem famoso pela sua sabedoria. A notícia espalhou-se por todos os lugares, e vinha pessoas dos mais diversos recantos para conhecê-lo.
Um moço, impressionado com tudo o que lhe contavam sobre o sábio, quis visitá-lo, mas estava disposto a desafiá-lo, também. Viajou dias e dias, para, finalmente, chegar ao lugar determinado.

Naquela tarde memorável, o jovem estava nervoso e, ao mesmo tempo, curioso com a possibilidade de desmascarar o sábio. Pegou um pássaro, pôs as mãos para trás e, quando se viu frente a frente com ele, perguntou-lhe:

- Meu caro senhor, tenho um pássaro nas mãos. Em sua opinião, ele e está morto ou vivo?
O filósofo pensou, pensou e respondeu calmamente:
- Se eu disser que o pássaro está vivo, você é capaz de matá-lo. Se eu disser que ele está morto, você pode soltá-lo vivo, portanto, meu filho, posso afirmar com certeza, que a vida desse pássaro está em suas mãos”.

Que maravilha de resposta! Aquele rapaz deve ter saído dali impressionado. A resposta foi produto de uma reflexão repleta de ternura. Devemos com toda certeza tomar atitudes, mas que sejam elas também para promover a Paz! Uma palavra certa, dita na hora errada pode relutar a vida de um ser ao abismo. Precisamos a cada dia está com o coração compassivo, livre do rancor, o nosso entusiasmo, pode ser o entusiasmo do outro, e assim formamos uma corrente pertinente para a prática de um dos mais puros sentimentos, a ternura.

Quem age com ternura, adquire sabedoria o suficiente para fazer bem ao próximo, nesse está à causa da vida, o ser humano é um ser social, e precisa de pessoas ao seu lado para ser feliz e definitivamente ninguém é feliz sozinho, o nosso ego é o reflexo daquilo que as pessoas são para se mudar o mundo, ou melhor, para viver bem nesse mundo é necessário uma mudança interior, mudando nós, mudará as pessoas ao nosso redor, e assim se criará uma corrente positiva, sendo que o resultado desse esforço, será a cultivação de um mundo mais próspero, mais humano, mais racionalmente do bem, isso se chama ternura, esse é o caminho de transformação, o qual as pessoas devem se submeter para se viver num mundo mais igualitário.

Trecho retirado do livro: Ternura: um objeto de transformação. Autor: Emerson Maciel

3 comentários:

filosofia do sexo disse...

muito bom esse texto!!!

adorei, o filosofo nao podeia dar resposta melhor...

Lucas disse...

Adoro esse conto, nos faz refletir cm temos sempre q dar uma de filosofo e sair duma situacao dessas.

Levi Ventura disse...

Realmente muito bom o texto
Gostei muito
Bem reflexivo mesmo