"O que importa a surdez dos ouvidos quando a mente escuta? A única surdez verdadeira, a surdez incurável, é a surdez da mente". - Victor Hugo

quarta-feira, 25 de julho de 2012

Brasil Casual fecha parceria com Grupo Alfama.

Toninho Garcez, Emerson Maciel e Meyje Mello.   
Parceria firmada entre o Grupo Alfama e o MCBC - Movimento Cultural Brasil Casual representado por Emerson Maciel, poeta e organizador do Concurso Literário Brasil Casual - 2012. Toninho Garcez, Diretor de Tecnologia do Grupo Alfama, ressaltou a importância de apoiar um evento cultural de nível nacional. A Alfama Cursos contribuiu disponibilizando a impressão dos certificados bem como articulou a divulgaçãodo mesmo no meio eletrônico. 
Para Emerson Maciel "a parceria tende a continuar, uma vez que, a Alfama é a empresa sergipana que mais acredita em nossa cultura".

segunda-feira, 16 de julho de 2012

RESULTADO DO CONCURSO LITERÁRIO BRASIL CASUAL - 2012


Comissão Organizadora:

Diretor: Emerson Maciel Santos
Coordenadora: Luciana Novais Maciel


Comissão Julgadora:

Jurado 1: Francisco Diemerson de Souza: Mestre em Educação; licenciado em História e membro da Arcádia Literária e da Associação brasileira de Escritores.

Jurado 2: Manoel Messias Rodrigues: Graduado em Letras; Mestre em Sociologia da Literatura e Doutorando em Literatura e Cultura.

Jurado 3: Luciana Celi Neves: Pedagoga, Especialista em Educação Inclusiva, Contadora de História e Escritora.




Resultado

Obs: Na terceira colocação houve empate técnico entre dois candidatos, ambos farão jus ao certificado de 3º colocados.



1º Colocado:

Poema Nu
Autor: Gilmar da Silva Cabral (Rio de Janeiro)

Límpido e claro
Como um cristal azul
É o poema nu.
Sem enfeites,
Sem farsas,
Despidamente meu
Transparentemente exposto
Poeticamente tu.



 2º Colocado:

Favela
Autor: Maria A. S. Coquemala (Itararé – SP)

Corre nas ruelas...
Quase alcança a porta.
Lá em cima, onde nem luz havia.
A noite se enche de tiros, gritos e gemidos...
O sangue não corre pela rua,
a terra o absorve.
O medo espia pelas frestas,
os corações disparam.
A mãe abafa a boca do bebê que chora.
Mãos rápidas se benzem.
Gritos lancinantes morrem nas gargantas.
Dos lábios trêmulos, palavra nenhuma escapa.
            Pega o terço, vence o medo,
            vence os braços que a prendem,
            chega junto ao filho que agoniza.
A noite se enche de tiros, gritos e gemidos.
O sangue não corre pela rua,
a terra o absorve.
O medo espia pelas frestas,
os corações disparam.
A mãe abafa a boca do bebê que chora.
Mãos rápidas se benzem.
Gritos lancinantes morrem nas gargantas.
Dos lábios trêmulos, palavra nenhuma escapa.
            E é lá em cima, onde nem luz havia,
            a escuridão só quebrada pelo brilho das estrelas
            e no lampejo na boca do revólver.
Lá em cima, onde Justiça não havia.


3º Colocado:

Fanal
Autor: Geraldo Trombin (Americana – SP)

Primeiras-águas
Marinheiros de 1ª viagem
Nau frágil

Tempestade em automar
Naupatia...
                  .
                   .
                    .
                     .
                      .
                       .
                       .
                       .
                       .
                       .
                       .
                       .
                       Naufrágio

Obs: A transcrição “automar” é proposital, tem a conotação de mar próprio.



3º Colocado:

Aniversário
Autor: Francisco de Assis Dantas (João Pessoa – PB)

Releio papéis, revivo o passado
Evoco alegrias, abjuro tristezas
Renovo prazeres, esqueço tensões
Revivo aventuras, de idas e vindas
Passado e presente, presente e passado.
Releio papéis, ressinto perfumes
Teu corpo cheiroso ao encontro do meu
Em carnes tocadas, divina mistura
Suor e prazer, ai que gostosura!
Teu short curtinho, revejo-o agora
Em noite de lua, varanda em penumbra
Ao embalo da brisa soprada do mar.
Revejo um sofá, de velho estralando
E quase quebrando, rangendo ao peso
De corpos dobrados em grave paixão.


Menções Honrosas: Por ordem alfabética por autor e seus respectivos poemas.

Adão Wons (Cotiporã – RS). Poema: Luares
Adélia Einsfeldt (Porto Alegre – RS). Poema: Alma de Poeta.
Alba Brito Mascarenhas (Salvador – BA). Poema: A Palavra.
Alcione Sortica (Porto Alegre - RS). Poema: Fragmentos.
Anair Weirich (Chapecó – SC). Poema: Deprede o Deprê ou Delete o Dilema.
Antônia Aleixo Fernandes (São Paulo – SP). Poema: Refúgio
Ari Lins Pedrosa (Maceió – AL).  Poema: Meu todo.
Carlos Frederico de Almeida Rodrigues (Pato Branco – PR). Poema: Versos.
Cosme Custódio da Silva (Salvador – BA). Poema: Pessoa e Eu.
Denivaldo Piaia (Campinas – SP). Poema: A Vida Ensina.
Ellen dos Santos Oliveira (Aracaju – SE). Poema: Recordações
Eloisa Porazza (Porto Alegre - RS). Poema: Água, Taça e amor.
Hudson Alves Ribeiro (São Paulo - SP). Poema: Raquel.
Iara Almansa Carvalho (Criciúma – SC). Poema: Velhice Sem Perspectivas.
Igor Freire Costa (Belo Horizonte – MG). Poema: Uma Resposta ao Mundo.
Jorge Luís dos Santos Barbosa (Barra do Piraí – RJ). Poema: Sorriso Especial.
José Geraldo Tavares (Juiz de Fora – MG). Poema: Desalento.
Josemar dos Santos Ferreira (Recife – PE). Poema: Maria Linda.
Larí Franceschetto (Veranópolis – RS). Poema: Paisagem.
Lenival Nunes de Andrade. (Catolé da Rocha – PB). Poema: Nordestinamente Brasileiros.
Luciana Moura Acauan (Porto Alegre – RS). Poema: Brincando de Viver.
Luciane Mari Deschamps (Florianópolis – SC). Poema: O Poder das Palavras.
Marcelo Ávila Marques (Gravataí – RS). Poema: A Distância do Desejo.
Maria Cristina Drese (Buenos Aires – AR). Poema: Rastros
Maria Teresa Innecco Corrêa (Rio de Janeiro). Poema: Se eu fosse mãe de cinco.
Marina Martinez (Porto Alegre - RS). Poema: Verdade Nua e Crua.
Marisa Silveira Bicudo (Carapicuíba – SP). Poema: Metamorfose Legal.
Mayla Alves Araújo (São Luís – MA). Poema: O Repasse de um Olhar.
Reginaldo Costa de Albuquerque (Campo Grande – MS). Poema: Roda-gigante
Renata Paccola (São Paulo – SP). Poema: Domínio.
Richardson Silva de Santa Bárbara (Ubaitaba – BA). Poema: O trabalho e o emprego.
Roseli Aparecida de Paulo (Paraguaçu Paulista – SP). Poema: O Silêncio do Poeta.
Tatiana Alves Soares Caldas (Rio de Janeiro – RJ). Poema: Contando Estrelas.
Valdemar Alves Júnior (Fortaleza - CE). Poema: Pombos na Catedral.
Viviane Schiller Balau (Porto Alegre – RS). Poema: Tua Enamorada.
Wilson de Jesus Costa (Rio de Janeiro – RJ). Poema: Travessa do Liceu

terça-feira, 5 de junho de 2012

MP quer suspensão do concurso do magistério estadual

O Ministério Público de Sergipe, por intermédio do Promotor de Justiça dos Direitos à Educação Dr. Luís Fausto Dias de Valois, ajuizou Ação Cautelar visando compelir o Estado de Sergipe a suspender o andamento do concurso público para Professor da Secretaria Estadual de Educação até que seja julgado o mérito da ação principal, na qual é requerida a anulação do contrato feito sem licitação.
Os fatos
A Promotoria de Justiça dos Direitos à Educação ajuizou, em março de 2012, Ação Civil Pública requerendo que, por meio de procedimento licitatório, o Estado de Sergipe realizasse, devidamente, a escolha da instituição que deveria ser responsável pela execução de concurso público para professor de educação básica da Secretaria de Estado da Educação.
A escolha da instituição para tal fim não foi precedida de licitação, tendo sido efetuada de forma direta, a contratação da Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt – FUNCAB. O MP pleiteou liminarmente a concessão da medida liminar, para que o Estado fosse compelido a anular o referido contrato. O Poder Judiciário negou a medida liminar invocada e o certame foi realizado em 1º de abril de 2012.
Após a realização do concurso, a Promotoria dos Direitos à Educação recebeu mais de 50 reclamações sobre a ocorrência de supostas irregularidades em várias provas do mencionado certame. Os fatos narrados foram discutidos e apurados em audiência pública realizada no MP.
Foram apresentados documentos comprobatórios da existência de inconsistências na prova de Redação e nas provas objetivas das disciplinas: Biologia, Educação Física, Física, Geografia, História, Sociologia, Química, Língua Espanhola e Turmas Polivalentes.
No total, o concurso teve 62 (sessenta e duas) questões anuladas; 23 (vinte e três) tiveram seus gabaritos alterados e ao menos outras 62 (sessenta e duas) apresentaram algum tipo de incongruência. Mesmo assim, causa estranheza o fato de que, quase todos os candidatos obtiveram êxito na prova objetiva e foram aprovados na prova de Redação, mesmo tendo havido flagrante inobservância ao princípio da isonomia, já que houve um equívoco quanto ao limite máximo de linhas da prova dissertativa, ou seja, alguns candidatos fizeram a redação de 20 linhas e outros de 30 linhas.
De acordo com o Promotor de Justiça “na ação cautelar o que se busca é a suspensão do andamento do concurso para que, na ação principal, seja determinada a realização de processo licitatório para que seja escolhida uma instituição apta a realizar o concurso público”.
Assessora de Imprensa MP/SE

Sintrase realiza mais um ato na Sefaz


O movimento, denominado de Onda Amarela, segue até sexta, 8
Ato ocorreu na frente da Sefaz (Foto;Samara Menezes/estudante UFS)
Os trabalhadores em Serviços Públicos de Sergipe (Sintrase) realizaram nesta manhã, 05, mais um ato em frente à Secretaria da Fazenda (Sefaz/Se). O movimento, denominado de Onda Amarela, teve como objetivo dar continuidade às reivindicações. Um café da manhã foi servido aos trabalhadores técnicos administrativos da Secretaria.
De acordo com o Presidente do Sintrase, Waldir Rodrigues, a categoria está disposta a negociar com o Governo e garante que a luta por melhorias irá continuar. “O Governador Marcelo Déda deve saber que estamos abertos à negociação, mas a paciência não é tão grande assim. Este ato é para chamar a atenção da Sefaz e das autoridades. A greve acabou, mas a luta dos servidores por salários dignos continuam”, ressalta.
Ainda segundo Waldir, o servidor da Sefaz, técnico administrativo, que se aposenta recebe apenas 33% do que recebe hoje na ativa. “Esta é uma situação constrangedora. Aqui tem gratificação, mas não leva para a aposentadoria. Por isso estamos aqui hoje porque não estamos satisfeitos com isso”, explica.
 "Queremos negociar" (Foto: Wallison Oliveira/Estudante da UFS)
Greve
Segundo Valdir a categoria está dando um tempo ao Governo para que sinalizem uma negociação. “Estamos aguardando para ver se o governo nos atende, antes de deflagrar uma nova greve. Por enquanto estamos realizando a onda amarela, mas ainda somos servidores públicos lutando por nossos direitos”, conclui Waldir.
Os servidores estarão reunidos amanhã, 6, em frente a Procuradoria Geral do Estado, (PGE), às 07h30. Já na próxima sexta-feira, 8, a categoria realizará uma panfletagem nos sinais de trânsito quando distribuirão a Tabela da Vergonha.
Entenda
Os servidores públicos estaduais deflagraram greve no dia 14 de maio, mas uma semana depois uma decisão judicial considerou a greve ilegal. No dia 23 do mesmo mês, após uma semana com as atividades paralisadas, a categoria decidiu em assembleia obedecer à decisão judicial e encerrar a greve. Mas, alertaram que continuarão em estado de mobilização lutando pelo Plano de Cargos, Carreira e Salários.

Fonte: Infonet

II Oficina de Elaboração de Projetos Científicos

Foram prorrogadas para até o dia 10 de junho as inscrições para a II Oficina de Elaboração de Projetos Científicos. O evento é fruto da parceria entre a Secretaria de Estado da Educação (Seed), Universidade Federal de Sergipe (UFS) e Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC), com o objetivo de preparar o professor para orientar projetos de feira de ciências. A inscrição é feita site.

A Oficina de Elaboração de Projetos Científicos faz parte da Feira Estadual de Ciências, Tecnologia e Artes de Sergipe (CIENART),  que é uma iniciativa conjunta da Universidade Federal de Sergipe (UFS), Universidade Tiradentes (UNIT) e Casa de Ciência e Tecnologia da Cidade de Aracaju (CCTECA), com apoio da Fundação de Apoio à Pesquisa e à Inovação Tecnológica do Estado de Sergipe (FAPITEC).

O projeto prevê atividades ao longo de todo o ano, concentradas principalmente na orientação técnica das comunidades escolares e na realização da CIENART no mês de outubro, durante a Semana Nacional de Ciência e Tecnologia (SNCT).

A competição envolverá alunos e professores desde o 6º ano do ensino fundamental até o 3º ano do ensino médio de todo o estado de Sergipe. Os trabalhos poderão ser inscritos em uma das quatro categorias: rede de ensino pública, particular, bolsistas de iniciação científica júnior (PBICJr) e trabalhos artísticos relacionados à ciência e tecnologia.
Fonte: Ascom Seed/SE

sábado, 28 de janeiro de 2012

Concurso: Sergipe Abre Concurso para 1700 vagas de professor.

Veja o edital do concurso com 1700 vagas para professores

Com o propósito de fortalecer o ensino básico na rede pública estadual, o Governo de Sergipe lançou na manhã desta sexta-feira, 27, o edital (clique aqui para acessar) de abertura para o concurso público de número 01/2012, com o objetivo de provimento do cargo de professor de educação básica. Ao todo, está prevista a contratação de 1700 vagas, sendo 100 para a educação especial, com remuneração inicial de R$ 2.326,52, com jornada de 200 horas mensais. O secretário de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão, Oliveira Júnior, afirmou que a seleção é mais uma prova do compromisso do Governo em oferecer uma educação de base mais qualificada.

A elaboração do edital é fruto do trabalho da Comissão de Coordenação do Concurso Público para o Magistério, composta pela Secretaria de Estado do Planejamento, Orçamento e Gestão (Seplag), Secretaria de Estado da Educação (Seed) e pelo Sindicato dos Trabalhadores em Educação de Sergipe (Sintese). Os representantes da comissão vinham se reunindo desde outubro passado para formatar o documento.

"O concurso se justifica pela necessidade de recrutamento de novos professores em face da crescente ampliação do número de aposentadorias. Também se faz necessário pela criação e inserção, nos últimos anos, de novos componentes curriculares nas matrizes de ensino que demandam a ampliação do quadro de docentes, em determinadas áreas de ensino", aponta o secretário.
 
Distribuição das vagas

Com base nas necessidades de distribuições apontadas pela Seed e Sintese, o edital estabelece que para o ensino fundamental do 6º ao 9º ano e o ensino médio, serão selecionados profissionais para lecionarem em 13 disciplinas: Arte, Biologia, Educação Física, Filosofia, Física, Geografia, História, Língua Espanhola, Língua Inglesa, Língua Portuguesa, Matemática, Química e Sociologia.
 
Para o ensino fundamental do 1º ao 5º ano, poderão exercer o cargo os profissionais formados em Pedagogia ou Normal Superior. Por fim, há as vagas para a educação especial, em que podem exercer diplomados em Pedagogia ou Escola Normal, com fluência em Libras, Licenciatura em Letras-Libras ou Libras-Português, e ainda em Letras - Língua Portuguesa ou Licenciatura Plena Bilíngüe com fluência em Libras.
 
Além da classificação dos 1700 professores por disciplinas e nível escolar, eles também serão distribuídos por todos os 75 municípios do Estado de Sergipe. Ou seja, tanto na Diretoria de Educação de Aracaju (DEA) e em todas as nove Diretorias Regionais de Educação (DRE) do interior. Sendo assim, os candidatos devem ficar atentos porque a convocação há três listas: a específica por grupo de município, a específica por DRE e a lista geral.
 
Inscrição e provas

Antes de se inscrever no concurso para professores da Rede Estadual de Ensino, os candidatos devem primeiramente tomar conhecimento de todas as informações que constam no edital. Para efetivar a inscrição, é preciso entrar no site da instituição que irá realizar a prova, a Fundação Professor Carlos Augusto Bittencourt (Funcab), no www.funcab.org, entre os dias 2 de fevereiro e 11 de março e pagar o boleto de inscrição no valor de R$ 59,00 até o dia 12 de março.
 
Ainda segundo o cronograma que consta no edital, a prova objetiva e a redação estão previstas para acontecer no dia 1º de abril, e entre 26 e 27 de maio será a prova prática para o caso de professores da educação básica especial que precisam comprovar a fluência em Libras. Por fim, o prazo para a divulgação final do concurso é o dia 20 de junho. E o melhor: a previsão é que diversos professores já comecem a ensinar no segundo semestre de 2012.
 
E atenção: o Posto de Atendimento do Concurso não fica na Seplag. No edital, o endereço para receber os candidatos que precisarem de recepção fica na avenida Desembargador Maynard, 284, sala 1, bairro Cirurgia, Aracaju. E os telefones para contato são 3213-8877 e 3214-2535.


Clique aqui para visualizar o Edital.



Fonte: Nenotícias.

sábado, 21 de janeiro de 2012

AS PRÁTICAS DE ENSINO DE LIBRAS E LÍNGUA PORTUGUESA: DESAFIOS EDUCACIONAIS.

Por: ¹Viviane Araújo da Silva
 
Os surdos estão conseguindo melhorias no seu convívio social e a educação encontra-se num processo de adaptação para aprimorar-se, em muitos casos, no que diz respeito à inclusão dos surdos em classes regulares de ensino. As escolas ainda não têm profissionais capacitados a receber esse público, mas há uma procura por pessoas que estejam aptas a realizarem esse trabalho.

Provavelmente, essa falta de profissionais não perdurará muito tempo, pois é uma área já bastante procurada por educadores e o ensino superior já abriu as portas para capacitar os cidadãos que querem ingressar nessa área, ofertando cursos de graduação em Libras. O Ministério da Educação já aderiu a esse modelo educacional inclusivo, e continuando nessas perspectivas educativas que atualmente são vistas, provavelmente acontecerá melhorias na educação da pessoa com surdez.
 
Noções preliminares sobre a Língua Brasileira de Sinais

Em 24 de abril de 2002, foi aprovada a lei federal nº 10.436, que reconhece a Língua brasileira de Sinais como língua oficializada aos surdos brasileiros. Uma conquista fundamental, pois o fato de tornar essa língua oficial possibilita um avanço no processo de comunicação das comunidades surdas, como já está sendo desenvolvido em todo país.
Art. 1º É reconhecida como meio legal de comunicação e expressão a Língua Brasileira de Sinais – Libras e outros recursos de expressão a ela associados. (BRASIL, lei 10.436, de 24 de abr. 2002).
A Língua Brasileira de Sinais é uma língua natural das comunidades surdas brasileiras, mas ao contrário do que algumas pessoas acham, ela não é um conjunto de sinais soltos ou mímicos, pois possui estrutura gramatical própria e, como os outros dialetos de sinais, não é universal. Ela se diferencia das outras, principalmente, por ter a modalidade visual-espacial, que, segundo Quadros (2011), “se realiza no espaço com articuladores visuais: as mãos, o corpo, os movimentos e o espaço de sinalização”  .

Os sinais são como as palavras e consistem na combinação da forma e movimento das mãos e do ponto no corpo ou no espaço. Como as outras línguas, Libras também possui expressões, os gestos, que se modificam de região para região, sendo estes mais quesitos para legitimá-la.

A Libras se baseia nos seguintes critérios que formam os sinais: configuração das mãos, ponto de articulação, movimento, expressão facial ou corporal e orientação ou direção. Esses parâmetros formam um conjunto essencial na construção da comunicação com os surdos, pois, para uma língua que conta como sentido principal a visão, faz-se necessário o uso dessas articulações físicas. Conforme Capovilla, “Língua de Sinais é o verdadeiro equipamento da vida mental do Surdo; ele pensa e se comunica apenas por este meio” (2006, p. 1479). 
 
QUADROS, 2011. Disponível em: http://www.ronice.cce.prof.ufsc.br/index_arquivos/Page568.htm
 
Aquisição de Libras como a primeira língua e o ensino de Língua Portuguesa como ensino de línguas para surdos.

A educação bilíngue tem como ideia fundamental que o surdo tenha como materna a língua gestual e, como segunda, a língua oficial do país. A importância da Libras no contexto educacional e sua aceitação como língua tão completa quanto a Portuguesa, é um fator essencial na comunicação com os surdos, partindo tanto dos professores como também dos alunos ouvintes.

Outro fator é ter a presença de docentes bilíngues, pois a ideia é que os alunos surdos aprendam Libras em fase escolar primária e, ao inserir-se nas turmas regulares, eles aprendam Língua Portuguesa assim como os ouvintes. Nesse caso, fica evidente que deve haver professores que saibam e dominem Libras e Português.

Sabe-se que essa prática não vem acontecendo, talvez por falta de profissionais capacitados para realizarem esse trabalho, mas há casos que as técnicas se diferem.No entanto, existem infelizmente situações ainda piores, quando a escola não possui estrutura ou recursos humanos para o aluno surdo ter direito à educação. É a realidade educacional atualmente. Mas, ela deve ser reorganizada e os surdos precisam de profissionais que possam transmitir conhecimentos. É fato ser necessário o professor de turma inclusiva ter maior cautela para desempenhar um trabalho respeitando as diferenças.

Existem ainda detalhes que visam melhorar o ensino como não falar de costas, utilizar vocabulário simples, fazer muito uso de imagens e tentar ter uma boa desenvoltura na comunicação, tendo em vista que todos compreendam inclusive os não ouvintes.

O investimento em profissionais intérpretes de Libras também é um aspecto importante. Dessa forma, ouvintes e surdos poderão compartilhar seus pontos de vista, suas curiosidades e compreender mundos diferentes.
Ensino de Libras e de Língua Portuguesa – As práticas bilíngues.

Nesses últimos anos, pode ser observado que há uma preocupação com as metodologias para o ensino dos surdos e estas estão ligadas à educação bilíngue. A Libras não depende da Língua Portuguesa para proporcionar o desenvolvimento cognitivo dos não ouvintes, mas há necessidade que o aluno surdo tenha contato com as duas e que essa relação seja de qualidade para que eles possam ter uma vida escolar normal a respeito do processo de ensino aprendizagem.

Com base nesta ideia, é possível entender que o aluno surdo, quando não possui conhecimentos de Libras, em especial na fase infantil, não terá sucesso, provavelmente nas aulas de português, uma vez que, no processo de educação bilíngue, as aulas de Língua Portuguesa são ministradas usando a Libras concomitantemente.

Utilizo a língua dos ouvintes, minha segunda língua, para expressar minha certeza absoluta de que a Língua de Sinais é nossa primeira Língua, aquela que nos permite ser seres humanos comunicadores. Para dizer, também, que nada deve ser recusado aos Surdos, que todas as linguagens podem ser utilizadas, a fim de se ter acesso à vida. (LABORIT, 1996, p.61)

É imprescindível que a Libras, como língua materna, seja a melhor maneira dos surdos terem uma vida comum, mas infelizmente a aceitação da educação bilíngue ainda é pequena.
 
¹Viviane Araújo da Silva é graduada em Letras Português-Inglês pela FJAV (Faculdade José Augusto Vieira), Lagarto-SE. E-mail: vivi-aninha@hotmail.com

sábado, 14 de janeiro de 2012

CONCURSO DE POESIA - Edição 2012

Movimento Cultural Brasil Casual
Seção Literária do Jornal O Liberal
CONCURSO DE POESIA - Edição 2012
Apoio Cultural: 
Alfama Cursos (Aracaju)
Federação Brasileira dos Alternativos Culturais (São Paulo)
               Associação Internacional Poetas Del Mundo (Consulado sergipano)
                 Movimento Cultural Internacional A Plêiade­ (Aracaju) ­ 

A Coordenação do Movimento Cultural Brasil Casual lança nesta data o CONCURSO DE POESIA - Edição 2012, que selecionará os melhores textos, observadas as especificações constantes deste Edital.
O prazo de inscrição para a participação no CONCURSO é até 30 de Maio de 2012, mediante o encaminhamento das obras literárias à Coordenação Geral do Concurso, conforme disposto no item 2 deste Edital.

1 DO OBJETO
1.1. O presente Edital tem como objeto a seleção de obras literárias, na modalidade Poesia, observadas as especificações abaixo, objetivando selecionar e destacar os trabalhos com maiores qualidades literárias.
1.2.  A  taxa de inscrição é de R$ 10,00 (dez reais) POR CADA 2 TRABALHOS ENVIADOS. O limite por participante é de 4 poesias.
1.3.  Os trabalhos terão TEMA LIVRE.
1.4.  Os trabalhos não precisam ser inéditos.

2 DAS INSCRIÇÕES
2.1   A inscrição no Concurso dar-se-á mediante encaminhamento das obras literárias ao endereço:

A/C Emerson Maciel Santos
Av. Augusto Franco, 3753. Edifício Lyon 801
Bairro: Ponto Novo
Aracaju – SE CEP: 49047-040

2.2 As inscrições só serão recebidas pelo correio até o prazo estabelecido, considerando, para tanto, a data de postagem dos correios.
2.3 Cada participante poderá inscrever até 4 (quatro) poesias, sendo vedada a participação de coautoria.
2.4   No ato da inscrição, o candidato deverá apresentar, além do comprovante da inscrição (depósito no Banco do Brasil – ag. 3546-7 conta 29641-4, em nome de Luciana Novais, ou na Caixa Econômica Federal – ag. 2186 conta 1332-3 poupança, em nome de Emerson Maciel Santos, se achar mais prático, poderá ser enviado o valor em espécie em um envelope menor a parte), o trabalho em 3 (três) cópias impressas, na seguinte formatação: papel A4, fonte 12 (arial ou times new roman) com no máximo 30 versos (linhas).
2.5   Os trabalhos deverão ser enviados em envelope grande que deverá conter também um envelope pequeno lacrado e em seu interior uma folha A4 contendo: Nome, Pseudônimo, Data de Nascimento, Endereço Completo, E-mail, Telefones e uma mini-biografia. No Exterior desse envelope menor deve constar apenas:

Ø  Títulos do(s) trabalho(s)
Ø  Pseudônimo do autor

Obs.: As obras não poderão ter identificação de autoria, sendo que no rodapé da página deverá constar apenas o pseudônimo do autor. No exterior do envelope maior pode constar identificação.

2.7 Logo após o certame as obras literárias inscritas não serão devolvidas, sendo incineradas após o encerramento do concurso.
2.8   É responsabilidade exclusiva do autor inscrito a observância e regularização de toda e qualquer questão relativa a direitos autorais.

3 DA PARTICIPAÇÃO

3.1 O CONCURSO DE POESIA do Movimento Cultural Brasil Casual - Edição 2012 é de abrangência internacional e aberto a todo escritor que produza em língua portuguesa.
3.2. É vedada a participação dos membros da comissão organizadora e julgadora.
3.3   Os autores deverão ser maiores de 18 anos de idade.

4 DO JULGAMENTO

4.1   Os trabalhos inscritos serão submetidos, para análise e julgamento, à Comissão Julgadora constituída por pessoas com reconhecida capacidade intelectual, cuja decisão será soberana, não cabendo qualquer recurso quanto aos resultados por ela apontados.
4.2 Os nomes dos integrantes da Comissão Julgadora serão revelados somente na data da divulgação dos resultados.
4.3 Os textos serão julgados com base nos critérios de criatividade, qualidade técnica do texto e domínio da língua portuguesa.
4.4   A Comissão Julgadora poderá, a seu critério, conceder Menção Honrosa.
4.5 O resultado do Concurso será divulgado no periódico Jornal O Liberal e no endereço eletrônico: www.emersonmaciel.com.br.
4.6   Os autores classificados serão contatados através de correspondência pessoal.

5 DA PREMIAÇÃO

5.1 A premiação será de:
            1º prêmio: Kit Literário contendo Livro e Cd + 1 ano de assinatura grátis do Jornal O Liberal (com direito a publicação de trabalhos literários) + Certificado;
            2º prêmio: Certificado + 6 meses de assinatura grátis do Jornal O Liberal (com direito a publicação de trabalhos literários);
            3º prêmio: Certificado + 3 meses de assinatura grátis do Jornal O Liberal (com direito a publicação de trabalhos literários).

5.2   Menções Honrosas: Certificado.

6 DOS DIREITOS E OBRIGAÇÕES

6.1 Aos Autores será assegurado o reconhecimento dos direitos autorais dos trabalhos premiados, atendendo às especificações contidas no item 6.2 deste Edital, permanecendo proprietário(a) de seus direitos para quaisquer outros usos que não os aqui especificados;
6.2 Os autores, ao se inscreverem no presente concurso, concordam com a cedência de nome e imagem ao Movimento Cultural Brasil Casual para fins promocionais deste certame.
6.3   À Comissão Organizadora compete promover a divulgação deste Edital nos meios de comunicação e no endereço eletrônico www.emersonmaciel.com.br e no Jornal O Liberal e publicar os resultados dos textos selecionados pela Comissão Julgadora, de acordo com as especificações constantes neste Edital.

7 DAS DISPOSIÇÕES FINAIS

7.1   O ato de inscrição implica no conhecimento e concordância com os termos do Concurso estabelecidos no presente Edital, sendo que os casos omissos serão decididos pela Comissão Organizadora.
7.2   Eventuais pedidos de esclarecimento deverão ser encaminhados ao endereço eletrônico contato@emersonmaciel.com.br
7.3   O descumprimento das obrigações e regras constantes do presente Edital, pelos participantes, implicará na eliminação imediata desses do certame.

Aracaju, SE 11 de Janeiro de 2012

Emerson Maciel Santos
Luciana Novais Maciel